Aproveitando o embalo pré-olímpico a gente resolveu falar um pouco da parte musical deste espetáculo esportivo. Os jogos olímpicos despertam na gente aquele sentimento único de torcida. Bate aquele nervosismo para acompanhar as competições, saber se os atletas do seu país estão ou não bem colocados. Saber quem vai fazer história, quem é a zebra da vez, quem será a grande promessa…essas coisas mexem. Sem contar as lágrimas e os arrepios na hora do pódio. Sensações inesquecíveis.

Assim como as performances esportivas, as músicas compostas para representar a festividade são sempre uma surpresa também. Tem de tudo! Tema instrumental, apresentação com gente famosa, tema que é substituído de última hora e por aí vai. A música sempre foi parte marcante da festa e já virou tradição. É ela que embala os momentos de glória, as superações, coroa o esforço de anos e coloca momentos na história.

Para começar direito, você conhece um pouco da história dos jogos modernos? A primeira edição das Olimpíadas Modernas de Verão aconteceram em 1896, em Atenas, capital da Grécia. Coincidência ou não, berço da civilização ocidental, da filosofia, dos conceitos de estética, equilíbrio, enfim… da arte! Também por isso, os gregos são sempre os primeiros no desfile de abertura e encerramento dos países participantes. Entretanto, o idealizador do renascimento dos Jogos Olímpicos como conhecemos hoje foi o francês Pierre de Frédy, o Barão de Coubertin. Inclusive as medalhas entregues pelo COI aos atletas que demonstram verdadeiro espírito esportivo durante os jogos também levam o nome do cara.

Mas vamos à música! As Olimpíadas de Montreal no Canadá, em 1976, foram os primeiros jogos a ter uma música tema. Na real, a canção que deveria ser a principal era “Bienvenue à Montréal “ de René Simard que acabou sendo substituída por Je t´aime, de Estelle Ste Croix que estourou na época!

Os jogos olímpicos de Moscou, em 1980, tinham o fofíssimo ursinho Misha como mascote e a música tema foi cantada pelo “Sinatra Russo” da época, Muslim Magomayev. Stadion Moyey Myechti (Estádio dos Meus Sonhos), embalou os jogos naquele ano.

Quatro anos depois, nos jogos de Los Angeles em 1984, a música tema foi composta por ninguém menos que o premiadíssimo John Williams (o cidadão por trás das trilhas de Star Wars, Tubarão, E.T, Indiana Jones, Jurassic Park, Violinista do Telhado e mais um monte de filmaço que você conhece). A “Olympic Fanfarre and Theme” entrou na lista das obras maravilhosas do cara e foi trilha dos jogos de 84.

Em Seul, 1988, duas músicas brilharam nos jogos, pela primeira vez. O tema oficial foi Hand in Hand, composição do italiano Giorgio Moroder, interpretado pela banda Koreana (não é brincadeira, o nome da banda é esse mesmo!). Em paralelo a rede americana NBC, que faz a cobertura dos jogos veio com Whitney Houston e a emocionante “One moment in time”. Apesar de não ser a música oficial, fez um baita sucesso e ficou em 5º na Billboard Hot 100.

Os jogos de 1992 na Espanha também ganharam duas músicas que se tornaram hits. Freddie Mercury compôs e dividiu o vocal com Montserrat Caballé em Barcelona (a canção foi composta por ele em 1988!). A ideia era que os dois abrissem a cerimônia, mas Freddie nos deixou meses antes e a apresentação ao vivo não aconteceu L . A outra canção foi “Amigos para Siempre” composta por Jose Carreras e cantada por ele em parceria com Sarah Brightman. Essa música não só foi tema olímpico como trilha para um monte de amizades mundo afora J

Saltando para 2016, o tema oficial das olímpiadas aqui no Brasil, na cidade do Rio de Janeiro, se chama “Alma e Coração”, interpretado por Thiaguinho e Projota.

Sentiu falta de algum? Conta pra gente!